8.2.08

A tentação do Frei: uma quase-fábula

Salvador Dali: A tentação de Santo Antônio
Houve um tempo em que a Igreja era o próprio espetáculo - 'o céu na terra' - da sociedade. A divisão dos poderes entre os donos do céu e os donos da terra criou duas esferas de poder aliadas e confrontantes.
Ao povo coube a contemplação e a própria encenação desses poderes e também em seu nome confrontar-se.
Aos poderes divinos e terrenos coube em nome do povo encenarem seus confrontos. O espetáculo resultante se tornou uma simulação da própria sociedade.
Como estratégia do poder foi transferido para as artes e para os artistas a representação e a simulação do seu confronto metaforizando o conflito.
Como novos protagonistas do espetáculo do poder, os artistas se tornaram seus representantes. A sociedade do espetáculo assiste e aplaude sua própria encenação.
Os artistas também ocupam o próprio lugar da platéia, substituindo o povo na sua própria encenação e forjando uma nova realidade em que a cena do espetáculo é toda a sociedade.
A união dos poderes 'o céu na terra' oferece para a sociedade seu próprio espetáculo e na tentativa de unificar-se promove a separação original entre deuses e demônios.
Os artistas como os novos protagonistas sociais escolhidos pelo poder vão simular sua condição original de representantes do conflito entre os poderes do céu e da terra e entre a platéia e o próprio espetáculo.
A encenação da demissão voluntária da ministra Matilde Ribeiro titular da SEPPIR - Secretaria de Promoção da Igualdade Racial - representa uma imolação purificadora que coube ao negro representar nesta cena do uso abusivo de cartões corporativos pela adiministração federal e que se repete em todos os poderes da república.
A "Ministra demitiu-se", o "governo e o seu partido cortaram a própria carne", representam o ato purificador e espetacular do poder.
Como a lógica do espetáculo tem que prevalecer é necessário que a substituição dos atores a obedeça. Nada mais adequado, coerente e ao mesmo tempo radical do que recomendar uma 'artista verdadeira' para o posto de nova Ministra.
Tento assim compreender a indicação de Leci Brandão, compositora e cantora feita pelo Frei David representante da Educafro para o posto de nova Ministra da SEPPIR.
Frei David não só exerce seu direito de cidadão como também de co-protagonista do espetáculo do poder. E comete neste ponto, como qualquer mortal a tentação de elejer seu deus na terra pela encenação da unificação dos poderes espetaculares com a arte representando a política ou como na simulação metafórica do samba-jingle da Globo: "a vida imitando a arte/isto é globalização".

Minhas referências teóricas para esta reflexão foram: "O declínio do homem público" de Richard Sennet publicado pela Companhia das Letras e "A sociedade do espetáculo" de Guy Debord publicado pela Contraponto.

Saiba mais sobre estes autores pesquisando na janela Google na coluna ao lado. Procure por estes livros e melhores preços na janela Busca Pé.

2 comentários:

Musikfabrik disse...

Amigo Zé Ricardo,

Ainda ontem estive ouvindo um K7 com uma entrevista que fiz para o Vissungo com o Orlando Fernandes, da cúpula do IPCN em 1977, lembra do Orlando?
Mesmo sendo pura nostalgia, foi constrangedor comparar o Movimento Negro nestas duas épocas separadas por 30 longos (ou curtos) anos.
Lá para as tantas, o Orlando me diz que o IPCN havia sido procurado por parlamentares da ARENA e/ou do PMDB que sugeriam que o Movimento Negro montasse uma lista de indicações de figuras da comunidade para serem candidatos a cargos eletivos. A solicitação foi solenemente recusada. Nenhuma lista foi feita. Temia-se a cooptação dos indicados que se tornariam políticos clientelistas, corruptos e conservadores como os brancos.
O que dizer deste melancólico Movimento negro de hoje em dia? Diz o Ancelmo Gois que existem mais de 100 nomes na lista do Lula para o cargo. As indicações do Movimento Negro são ínfimas e, até risíveis.
Acho imperdoável a Matilde ter feito isto aquilo 'na saída'(dando credibilidade ao ditado racista) mas acho mais condenável ainda, ficar propondo nomes que sabemos não terem a menor capacidade, representatividade (ou mesmo credibilidade)apenas para manter um naco de poder neste governo sofrível.
Quem dorme com criança, amanhece mijado. Quem com porcos come...

Abs

romao disse...

pelo menos agora ao contrário de 2002 estao micjandoem público.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails